O HOMEM DO CACHORRINHO


Cruzei com ele no elevador várias vezes, em horários diferentes - domingo de manhã, sábado à tarde, alguns dias à noite.

Ele sempre com seu cachorrinho, sei lá que raça, daqueles pequenos, pelo comprido, bem clarinho, quase branco.

Quieto, nunca escutei seu latido.

O dono também é desses tipos que falam pouco. Apenas me cumprimenta, educado, e quando chega no seu andar ele abre a porta do elevador e sai carregando o cãozinho. 

Antes, se despede com um "até logo". E mais nada.

Perguntei para o Zé, meu amigo porteiro, como se chama o homem do cachorrinho:

- É Pedro, o sobrenome é esquisito, deve ser estrangeiro. Mora sozinho, mudou-se faz uns três meses. Dizem que é advogado.

Mas o Zé não soube me dizer o nome do animal.

Da próxima vez que encontrar com o Pedro vou perguntar para ele.

Pode ser uma boa maneira de quebrar o gelo.